Construindo o Amanhã pela Segurança Alimentar

Construindo o Amanhã pela Segurança Alimentar

Educação Coletiva em Gravataí

Uma das aulas do projeto "Construindo o Amanhã". Imagem: Casa dos Sonhos

Na comunidade de Rincão da Madalena, em Gravataí, há um lugar dedicado a construir e alimentar sonhos da comunidade economicamente vulnerável que ali vive. Há oito anos, a Fundação Casa dos Sonhos promove e protege a defesa dos direitos da criança e do adolescente.

Com a ajuda da Rede Parceria Social e da Dana, foi criado o projeto “Construindo o Amanhã pela Segurança Alimentar” que, conforme explica o Coordenador Técnico da iniciativa, Márcio Zapicán Camargo Abella, tem como objetivo oferecer serviços educacionais em assistência social, capacitações em Segurança Alimentar, Cozinha Alternativa e Sustentabilidade. “A ideia é promover o desenvolvimento social sustentável – com aproveitamento total de alimentos articulado à manutenção de horto comunitário – criado pelos próprios frequentadores da Casa dos Sonhos”, esclarece.

Ao mesmo tempo em que as aulas ocorrem, também foi necessária uma reforma na cozinha da Fundação, de forma que ela pudesse atender melhor às pessoas – de faixa etária entre 20 e 60 anos – que frequentam o espaço. A entidade atende famílias que apresentam déficits psicossociais, em situação de vulnerabilidade social. Os indicadores socioeconômicos do IBGE (2007: p.122) apontam que 40,4% das famílias da região possuem renda per capta de até meio salário mínimo. Após a reforma, a cozinha adquiriu o formato ideal, o industrial, que atende com eficácia as formações na área de alimentação e também a produção de lanche aos jovens atendidos nos projetos da Casa dos Sonhos.

O começo da horta comunitária. Imagem: Casa dos Sonhos
O começo da horta comunitária.
Imagem: Casa dos Sonhos

Além disso, o projeto tem, é claro, um aspecto educacional e também de conscientização ambiental e alimentar. Para atender esta demanda, foi desenvolvido um grande curso com duração de oito meses, ministrado para uma turma de 20 alunos. O primeiro módulo de aprendizado envolveu conceitos de Segurança Alimentar, com duração de 80h. O assunto seguinte foi Cozinha Alternativa, com duração de 60h e, em seguida, ensinaram-se conceitos de Ética e Sustentabilidade para a turma. O resultado não poderia ter sido mais positivo.

O impacto dessa grande ação foi a promoção sistêmica da sustentabilidade. As oficinas sobre estes temas foram desenvolvidas em parceria com projetos de extensão do curso de Nutrição da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O objetivo? Criar e desenvolver um horto comunitário dentro da Fundação Casa dos Sonhos, que resultou em geração de emprego e renda para 20 famílias. Tudo isso dentro dos oito meses do projeto.

Isso foi registrado em um DVD que contém métodos, técnicas, receitas e vídeo-aulas vivenciadas no decorrer do projeto, além de um manual prático digital com as indicações e cuidados vinculados à Segurança Alimentar com sustentabilidade. Este manual é destinado à implementação de cozinhas industriais e hortos comunitários em organizações sociais e, para isso, serão distribuídas gratuitamente 250 cópias deste DVD na Rede Parceira Municipal de Proteção Social (RPMPS).

“Valorizamos as perspectivas da formação de grupos familiares que promovam os princípios da Segurança Alimentar como valores afirmativos da cidadania, assegurando direitos com atividades de preservação do meio ambiente”, explica o coordenador do projeto. Por esse motivo, é relevante a constituição de espaços comunitários alternativos de produção em serviços de alimentação – bem como do aproveitamento de nosso horto comunitário, voltado ao público interno da Casa do Sonhos e seu entorno comunitário, sempre com foco na sustentabilidade.

Sobre a Rede Parceria Social

Todos os projetos patrocinados pela Dana na fase 2010/2011 envolvem Segurança Alimentar, como também na fase anterior, e acontecem em diversas cidades do RS: Porto Alegre, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Gravataí, Caxias do Sul e Montenegro. “Apesar do tema da Segurança Alimentar ter sido mantido, é importante ressaltar que agora apoiamos projetos novos, diferentes do ano passado. Estamos alinhados com os objetivos da Rede Parceria Social, que objetiva que, após um ano, as ONGs tenham conhecimento para andar com as próprias pernas”, diz Luis Pedro Ferreira, Gerente de Comunicação Corporativa da Dana.

ARTIGOS SEMELHANTES