#AgostoLilás: junte-se a nós e diga não à violência contra a mulher

junte-se a nós e diga não à violência contra a mulher

Durante o mês de agosto acontece, em todo o Brasil, o #AgostoLilás, campanha para alertar sobre a importância da prevenção e do enfrentamento à violência contra a mulher, que independe de lugar ou classe social. Segundo o Instituto Maria da Penha, a cada 7 segundos uma mulher sofre agressão física no Brasil, o que coloca o país no 5° lugar entre mais violentos do mundo nesse quesito. Mas a violência doméstica – e contra mulheres – vai muito além disso, já que diminui a qualidade de vida delas e de suas famílias, gerando prejuízos à sua autonomia e seu potencial como pessoa e cidadã. A proteção às mulheres está pautada pela Lei Maria da Penha, criada há 14 anos, que prevê proteção às vítimas e punições em casos de agressões, inclusive físicas, psicológicas e morais.

Inserida em um ciclo de violência, a mulher muitas vezes já se sente culpada pelas agressões, e o que mais precisa é de orientação e acolhimento – buscar ajuda sozinha pode ser muito difícil, até pelo temor de represarias. Se conhece alguém que está neste tipo de situação. dar o seu apoio é fundamental: mostre-se disponível para ir a uma delegacia, hospitais, separar documentos etc. Repasse orientações sobre os direitos dela e os locais onde pode buscar ajuda.

Como ajudar
Os casos de violência ou assédio, a qualquer hora do dia ou da noite, devem ser comunicados pelo telefone 190 pela própria mulher, vizinhos, parentes ou quem estiver presenciando, ouvindo ou que tenha conhecimento do fato. Para os casos não emergenciais, o Disque 180 ou Disque 100, ambos do Governo Federal, recebem denúncias e oferecem orientações.

O aplicativo PenhaS, que pode ser baixado no celular ( iOS / Android ) , promove o empoderamento da mulher e enfrentamento da violência doméstica que reúne o compartilhamento de informações, o diálogo em ambiente seguro e a possibilidade de criar um grupo de proteção para mulheres em perigo. Tem um botão de pânico para que pessoas próximas sejam acionadas em caso de violência e até gravação de áudio para produção de provas contra o agressor.

Em SP, é possível registrar online ocorrências de violência familiar ou contra mulher. Pessoas com medidas protetivas podem se cadastrar no aplicativo SOS mulher, que ao ser acionado, localiza a viatura policial mais próxima ao local da ocorrência.

No Rio Grande do Sul, além dos telefones de emergência (190, Disque 100 ou Disque 180), é possível fazer denúncias ou pedir orientações por meio do WhatsApp (51) 98444 0606 (Delegacia Online). Nos casos de crimes graves e estupro e havendo necessidade de solicitar medida protetiva de urgência, é necessário ir até a delegacia mais próxima e registrar presencialmente. Junte-se a nós pela promoção de um ambiente digno, justo e sem violência.
#AgostoLilás

[geot country="BR"] [/geot] [geot country="AR"]

De acuerdo con su ubicación quizás le interese visitar www.dana.com.ar. Si desea cambiar de país por favor haga click aquí.

[/geot] [geot country="CO"]

De acuerdo con su ubicación quizás le interese visitar www.dana.com.co. Si desea cambiar de país por favor haga click aquí.

[/geot] [geot country="EC"]

De acuerdo con su ubicación quizás le interese visitar www.danaecuador.com.ec. Si desea cambiar de país por favor haga click aquí.

[/geot]