Quanto tempo dura um amortecedor novo?

As respostas podem variar entre 10 mil e 150 mil km e isso dependerá do uso do veículo. Mas é possível afirmar que a durabilidade do amortecedor será tão boa quanto os demais componentes que compõem o sistema de suspensão e o prendem a carroceria. Saiba mais sobre quais outros componentes precisam ser verificados e/ou substituídos para que o novo amortecedor tenha sua eficiência e vida útil garantida.

Os amortecedores e demais componentes da torre de suspensão e ligação deste com a carroceria são partes do sistema de suspensão do veículo e devem ser pontos de atenção em uma revisão periódica para você que tem a responsabilidade de zelar pela dirigibilidade, segurança e conforto do cliente ao dirigir o veículo.

Mas não basta apenas inspecionar e, se necessário, substituir o amortecedor danificado pelo novo amortecedor AlbarusShocks. Um novo amortecedor será tão bom quanto as peças que o prendem ao veículo e à suspensão.

Isso ocorre porque o amortecedor é uma das partes que conectam a suspensão à carroceria. Se os demais componentes estiveram danificados ou desgastados, em breve, comprometeram o bom funcionamento do novo componente e o funcionamento do conjunto de suspensão voltará a ser deficiente.

Em geral, você deve inspecionar os amortecedores a cada 10 mil km ou anualmente, o que acontecer antes. Os sinais de que amortecedores e todos os componentes da torre podem precisar de atenção incluem:

  • Frente do veículo abaixando demais durante freadas fortes (mergulho);
  • Veículo oscila demais ao passar por irregularidades do pavimento;
  • Batidas fortes na suspensão ao passar por obstáculos;
  • Indicativos de vazamento de fluido nos componentes (amortecedores, principalmente).

Os componentes do sistema de suspensão são itens de desgaste que absorvem incontáveis solavancos na estrada. O sistema é formado por amortecedores, molas, chassi, caixa de direção, bandeja, pivô, rolamento de rodas, junta homocinética, barra estabilizadora, bieleta, buchas e coxins.

É fácil substituir um amortecedor ou suporte. Com as ferramentas certas e um compressor de mola decente, a substituição do amortecedor não é difícil. Mas, se você esquecer de fazer a manutenção das peças que prendem o amortecedor ao veículo, essa é uma maneira fácil de causar um retorno do veículo a sua oficina e um retrabalho.

Rolamento, coxins e porcas de fixação

Um erro a ser evitado ao substituir o rolamento da torre de suspensão e reutilizar as placas de apoio ou coxins do conjunto. Estes componentes estão submetidos a esforços a cada movimento de compressão da mola e do amortecedor. Parte do impacto é absorvido e distribuído entre todos as peças envolvidas e, assim, há desgaste em todos os eles.

Ruídos de direção, como sons de estalo, rangido ou outros barulhos ao virar o volante podem ser sintomas de que o rolamento está danificado.

Se você estiver substituindo os amortecedores traseiros, preste atenção especial aos suportes superiores de fixação do conjunto. Se você não tomar cuidado na montagem, o cliente pode voltar reclamando de um ruído de tique-taque vindo da parte inferior dos vidros traseiros.

Pivôs e batentes

Na substituição de amortecedores, os batentes ou pivôs que se encaixam na haste da torre de suspensão não devem ser transferidos do conjunto antigo. O melhor é substituí-los por peças novas. Este procedimento é um seguro barato contra danos ao novo amortecedor.

Ao passar em um obstáculo, se um amortecedor chegar ao fundo, pode danificar as válvulas no interior do pistão. Se o batente também estiver desgastado, este pode ser um sinal de que todo o conjunto (molas, coxins, batentes e amortecedor já chegaram ao fim de sua vida útil.

Coifas

A coifa é uma proteção crítica para o exterior e o interior do amortecedor. A vedação na parte superior do amortecedor é a barreira entre o ambiente hostil externo e o fluido ou gás dentro da unidade.

A vedação não será eficaz se o corpo do pistão estiver furado ou danificado. Se a corrosão ou dano for grande o suficiente, isso pode danificar a vedação, fazendo com que água e detritos entrem na unidade e danifiquem as válvulas e a vedação do pistão, causando ainda perda do gás ou fluído. Para proteger o lacre, é fundamental substituir as coifas.

Caster e cambagem

Quando um amortecedor é substituído, isso pode indicar que é hora de substituir os parafusos e calços de cambagem, usados para ajustar o alinhamento das rodas.

Tirantes, barras estabilizadoras

Uma das partes mais ignoradas de uma suspensão é a barra estabilizadora e o tirante que controlam o movimento da carroceria. Embora estes sejam itens que raramente falham, elementos de ligação destes componentes com a suspensão e os pontos de montagem do veículo podem se desgastar e falhar.

Após a execução dos serviços, faça um teste severo de rodagem, observando se todos os problemas foram resolvidos e se não há ruídos, instabilidade ou outros sintomas. Pior que seu cliente retornar reclamando de um problema não solucionado é ele não mais retornar a sua oficina e ainda comentar sobre a má-experiência que teve em sua empresa.

Lembre-se: um cliente satisfeito conta para 3 pessoas sobre a experiência positiva na sua empresa, ao passo que um cliente insatisfeito relata para 11 pessoas sua experiência negativa.

[geot country="BR"] [/geot] [geot country="AR"]

De acuerdo con su ubicación quizás le interese visitar www.dana.com.ar. Si desea cambiar de país por favor haga click aquí.

[/geot] [geot country="CO"]

De acuerdo con su ubicación quizás le interese visitar www.dana.com.co. Si desea cambiar de país por favor haga click aquí.

[/geot] [geot country="EC"]

De acuerdo con su ubicación quizás le interese visitar www.danaecuador.com.ec. Si desea cambiar de país por favor haga click aquí.

[/geot]