Fique ligado: caminhões elétricos logo estarão na sua porta

O caminhão elétrico já é uma realidade. Assim como aconteceu na Europa, Asia e Estados Unidos, a cada dia eles estão mais presentes nas cidades brasileiras. Conheça alguns dos modelos que já são fabricados e os sistemas desenvolvidos pela Dana para atender estes veículos

A Dana tem veículos elétricos de diversos perfis rodando nos EUA e seus eixos e motores elétricos já equipam milhares de veículos comerciais nos EUA e China.

Todas as grandes fabricantes de caminhões têm ao menos um modelo elétrico. Alguns deles já estão em atividade comercial. Embora custe em média três vezes mais que um modelo similar com motor a diesel, o custo operacional, o baixo nível de emissões de poluentes e a amortização mais rápida do investimento, têm sidos decisivos para a escolha dos e-Trucks para integrarem as frotas de serviços de transporte.

O continente europeu lidera o desenvolvimento de novos caminhões elétricos e é o ponto de partida de novidades que estão chegando ao Brasil. Em nossas ruas, aliás, já há caminhões elétricos operando em empresas.

A francesa Renault Trucks foi a primeira a lançar veículos elétricos para transporte de carga, em 2009. O pioneirismo deu resultado. A empresa já vende na Europa a segunda geração de seus modelos elétricos. O furgão Master Z.E e os caminhões D Z.E e D Wide Z.E, com capacidades de 3,5 a 26 toneladas de Peso Bruto Total (PBT), respectivamente.

O Renault D Z.E tem motor elétrico de 185 kW (cerca de 251 cv de potência) e 43 mkgf de torque. No caso do D Wide Z.E são dois motores elétricos. A potência total é de 370 kW (em torno de 503 cv) e o torque, de 86,7 mkgf.

O Master Z.E. é focado na distribuição de mercadorias em cidades. Como as baterias ficam sob os assentos, o volume do compartimento de carga é idêntico a versão convencional. Além do furgão, há também versão chassi-cabine. A recarga completa das baterias é feita em seis horas e a autonomia é de até 120 km. O motor elétrico gera 57 kW (cerca de 77 cv) e torque é de 23 mkgf.

A sueca Volvo apresentou no ano passado, durante o Salão de Hanôver, na Alemanha, seus caminhões elétricos e já começou a produção na fábrica de Gotemburgo (Suécia)

Inicialmente, os semipesados FE e FL serão vendidos na Europa. O FL elétrico tem PBT de 16 toneladas e o FE, 27 toneladas. Direcionados ao transporte de distribuição, coleta e entrega, os dois modelos têm autonomia de 200 km. A potência do motor elétrico é de 370 kW (503 cv) e o torque é de 87 mkgf. Nos dois caminhões, a caixa de marchas é de duas velocidades.

A investida da Mercedes-Benz Trucks no segmento de caminhões elétricos começou em setembro de 2018. A empresa entregou dez eActros a empresas da Alemanha e da Suíça para testes. Os caminhões, com PBT de 18 e 25 toneladas, estão sendo utilizados em operações de transporte e distribuição.

O desempenho da versão elétrica é equivalente à do modelo com motor a diesel e a autonomia de 200 km do eActros agradou aos clientes.

O eActros é baseado no chassi do Actros convencional. Em vez de motor diesel há dois motores elétricos instalados próximo aos cubos das rodas do eixo traseiro. Cada um gera potência de 126 kW (em torno de 126 cv) e 49,5 mkgf de torque máximo. As baterias de lítio-íon têm capacidade de 240 kWh e em carregadores rápidos a recarga pode ser feita em duas horas, de acordo com a fabricante.

A Scania vende dois tipos de caminhão eletrificado na Europa desde o ano passado. Os dois modelos são híbridos. Nesse tipo de solução, o conjunto é formado por um motor elétrico e outro a combustão. O primeiro gera 130 kW (cerca de 177 cv) de potência e 107 mkgf de torque. O motor a combustão é DC09, de cinco cilindros em linha que pode utilizar diesel ou HVO (óleo vegetal com hidrocarbonetos).

Esse modelo proporciona redução de até 92% de redução de emissões de CO2, de acordo com informações da Scania.

A DAF Trucks também vem testando veículos com clientes desde o ano passado. Os primeiros caminhões CF elétricos em transportadores são cavalos-mecânicos com tração 4×2. Eles operam no transporte de mercadorias dos centros de distribuição para o varejo.

A transmissão elétrica VDL E-power desses caminhões fornece 210 kW. Isso equivale a 285 de potência. O torque é de 204 mkgf. As baterias têm capacidade de 170 kWh. Isso é suficiente para cobrir rotas regulares de coleta de lixo.  Outra vantagem é que dá para recarregar 80% das baterias em 30 minutos.

No Brasil

Vários testes e tentativas de introduzir o caminhão elétrico no Brasil foram feitas antes de a BYD chegar ao Brasil. A marca iniciou as operações no País em 2015 e atualmente a chinesa oferece os modelos eT7 11.200 e o eT8 21.250 no mercado brasileiro.

O Mercedes-Benz Actros na Suiça.

As cidades do Rio de Janeiro (RJ), Indaiatuba (SP) e Salto (SP) foram as primeiras a receber o caminhão elétrico na versão ajustada para coleta de lixo da BYD. Atualmente, já existe 42 caminhões elétricos da marca rodando no Brasil.

O caminhão elétrico da BYD tem baterias de fosfato de ferro lítio, que segundo informações da marca, podem durar até 30 anos, com autonomia de 200 km. A potência máxima de arranque é de 180 kW (245 cv) e o torque é de 153 mkgf.

Este ano começa a produção de um novo e-Delivery feito no Brasil. O modelo tem PBT de 14 toneladas e o desenvolvimento ficou a cargo da VWCO (Volkswagen Caminhões e Ônibus).

O modelo é da configuração 6×2 e seu motor elétrico gera até 260 kW (353 cv de potência), com autonomia de até 200 km, de acordo com as condições de operação.

A recarga total das baterias é feita em três horas, mas com 15 minutos conectado à rede elétrica é possível recarregar 30% das baterias.

O e-Delivery traz várias soluções eletrônicas. Um dos destaques é o sistema de leitura inteligente da massa transportada. É possível ajustar o consumo de energia por meio do modo de condução Eco-Drive Mode.

Soluções Dana para os e-Trucks

A Dana está há mais de 20 anos investindo no desenvolvimento de células de combustível, componentes eletrificados e mecatrônica para veículos comerciais, leves e para os segmentos agrícola e de construção.

Com a recentemente a aquisição da Nordresa, desenvolvedora de soluções completas para veículos elétricos a bateria, e a parceria estratégica firmada ano passado com a Hyliion Inc. a Dana se posiciona como líder no desenvolvimento de sistemas híbridos diesel-elétricos completos.

O portfólio elétrico da Dana inclui os sistemas de acionamento direto Spicer Electrified, eixos eletrônicos totalmente integrados, equipados com os motores, inversores e sistemas de controle TM4.

O caminhão protótipo desenvolvido pela empresa nos Estados Unidos, o City Delivery Dana, é uma solução que combina um eixo traseiro e motor ambos elétricos com inversor, movidos a bateria, mais leves e compactos, pois não utilizam o tradicional trem-de-força e nem componentes como tanque de combustível.

O conjunto pode ser montado em qualquer chassi que utilize os modelos de eixo S110 e S130, e proporciona autonomia de 161 quilômetros, com consumo de energia 8% menor que um veículo com motor centralizado e cerca de 170 kg mais leve que os conjuntos convencionais de veículos a Diesel.

Este caminhão-protótipo é ideal para aplicação urbana, como distribuição de bebidas, com redução de 67% no consumo de energia e de 40% na emissão de poluentes, em comparação com o mesmo veículo movido a Diesel.

Para conhecer as soluções Dana para veículos elétricos, acesse a página Dana Electrified. Dana, liderando a carga no mercado de eletrificação de veículos.