Dana orienta sobre os cuidados com os veículos no inverno

O final do mês de junho traz com ele o início do inverno. Embora o Brasil seja um país tropical, as mudanças climáticas e nossa extensa faixa territorial faz com que existam regiões com temperaturas muito baixas e frio extremo, com marcas próximas de zero e até temperaturas negativas. E nossos veículos? O que acontece com eles nas baixas temperaturas?

Com a temperatura mais baixa nos meses de inverno precisamos ter alguns cuidados com a nossa saúde. Roupas mais grossas, boa alimentação e bebidas quentes ajudam a mantermos nossos corpos aquecidos e protegidos.

Mas, e os veículos? O que acontece com carros, picapes, caminhões, ônibus, tratores e outros equipamentos motorizados? Quais problemas podem aparecer em ambientes gelados? Vamos ver como o frio afeta o funcionamento dos veículos e o que fazer para prevenir ou evitar panes.

Sabemos que a temperatura mais baixa afeta diretamente o sistema de carga e partida, em especial a bateria, e o sistema de alimentação de combustível. Estes são os reflexos mais imediatos e perceptíveis a todos os motoristas, seja em veículos leves ou pesados, e que geram busca por serviços de socorro mecânico ou reboques.

No entanto, estes não são os únicos sistemas afetados pelas baixas temperaturas e outros cuidados devem ser adotados. Confira e oriente os clientes de sua oficina ou motoristas de sua empresa.

Ar-condicionado – Isso mesmo. Apesar do frio, é necessário ligar o ar-condicionado no inverno. O ideal é que o sistema de AC seja ligado por alguns minutos durante a semana. Esse cuidado é para que os componentes do sistema não ressequem devido ao desuso, prevenindo vazamentos nas mangueiras devido a rachaduras, além de proliferar a criação de fungos e bactérias.

Cuidado com a bateria – O desgaste da bateria é um problema real no frio. Isso porque as temperaturas mais baixas reduzem a reação dos componentes químicos, além de deixar o óleo do motor mais viscoso e exigir mais da bateria no ato da partida. Oriente seu cliente para não dar a partida no motor com o rádio ou faróis ligados em dias frios. Peça que ele observe sempre como está a carga da bateria. Se o motor girar devagar quando for dada a partida no carro, pode ser que a bateria esteja com a carga baixa.

Combustível – Carros com motor a álcool ou flex, em geral, podem demorar um pouco mais para ligar no frio. Isso acontece porque o poder de combustão do álcool é menor em temperaturas mais baixas, na faixa dos 15°C. Por isso, é importante se certificar de que o chamado reservatório de partida a frio esteja abastecido com gasolina aditivada. Mas cuidado: quanto mais velha for a gasolina pior se torna seu poder de combustão, o que pode prejudicar o desempenho do veículo. Esse cuidado é dispensável em carros mais modernos que utilizam sistemas mais sofisticados e abandonaram o tanquinho.

Velas de ignição – Um cuidado especial no inverno é com as velas de ignição do motor. Se o carro não pegar na primeira tentativa não siga tentando instantaneamente pois isso pode encharcar as velas. O ideal é que você desligue o carro e espere alguns instantes para que o combustível evapore da câmara de combustão. Se o carro seguir sem pegar, oriente o cliente para que chame um mecânico de confiança (você é claro).

Palhetas do para-brisa – Feitas de borracha, elas ressecam com facilidade com o tempo frio. Este ressecamento pode arcar em problemas na limpeza dos vidros, podendo ocasionar riscos e sujeiras. Em situação normal, é recomendável que se troque as palhetas de três em três meses. Por isso, importante prestar uma atenção especial nas palhetas durante o inverno.

Reservatório de água do para-brisa – O clima mais frio muitas vezes pode formar neblina, o que traz normalmente mais sujeira para os vidros. Por isso, é essencial ter sempre cheio o reservatório de água do carro e com um detergente próprio para auxiliar na limpeza.

Pressão dos pneus – Pelo fato de o ar frio ser mais denso, o ar dentro dos pneus tende a condensar também, o que faz a pressão deles diminuir. Isso ocasiona uma maior fricção entre a borracha dos pneus e o asfalto, o que pode aumentar o consumo do veículo e o seu desgaste. Por isso, é necessário verificar a pressão dos pneus uma vez por semana de maneira preventiva.

Líquido do radiador – É sempre ideal verificar o líquido de arrefecimento do radiador. Em locais onde há um inverno muito rigoroso, pode ser necessária a utilização de um líquido anticongelante. Ele também evita que a água evapore e enferruje peças do sistema de arrefecimento.

Cuidado ao ligar o carro – Com mais frio muita gente crê que o melhor é acelerar, aumentando a rotação do propulsor para esquentá-lo. Entretanto, o que ocorre é exatamente o contrário. Aumentar o giro do motor com o veículo frio e com lubrificação parcial pode diminuir sua vida útil e faz potencializar danos nestes instantes iniciais de funcionamento. O ideal é permanecer com o carro parado e, quando sair, utilizar as rotações mais baixas possíveis.

Filtro da cabine – No inverno aumenta o uso do ar quente nos veículos. Aumenta também a incidência das doenças respiratórias, por conta do ar mais seco. Essa condição favorece a maior quantidade de partículas de poeira, fuligem, pólen, gases nocivos e odores desagradáveis. Por isso, é preciso ter cuidado com a manutenção do filtro de cabine. Em bom estado, o filtro protege os ocupantes da entrada destas partículas nocivas. Caso não esteja bom, a qualidade do ar no interior do veículo ficará comprometida. Além destes problemas, outra consequência comum de um filtro de cabine em estado de conservação ruim é a chance de provocar o embaçamento das janelas e para-brisas, o que diminuir a visibilidade do motorista. O ideal é verificar o estado do filtro da cabine e trocá-lo se necessário.

Veículos pesados também precisam de cuidados específicos – Em épocas de muito frio, aqueça as molas do caminhão para não as quebrar. No frio, elas ficam mais enrijecidas e se forem muito exigidas quando ainda estão frias, elas correm o risco de se romper. Ao sair pela manhã, coloque o caminhão ou ônibus para andar devagar, fazendo com que elas se aqueçam aos poucos. Fazendo isso, ajudará ainda o motor, o câmbio e os amortecedores. Vale lembrar que os óleos têm sua máxima eficiência de lubrificação quando estão aquecidos.

Outro cuidado é com as velas aquecedoras. Como a denominação sugere, sua função é aquecer o ar na câmara de combustão ou na pré-câmara, proporcionando condições otimizadas para inflamar o combustível injetado.

A peça facilita a partida em dias frios, evitando falhas de funcionamento, além de reduzir o nível de emissão de poluentes e fumaça branca enquanto o motor não atinge a temperatura ideal de trabalho.

Veículos e equipamentos a diesel podem ainda enfrentar uma situação mais preocupante nas regiões mais frias do país: o congelamento do diesel. Isso é algo que altera as características originais do diesel, comprometendo o bom funcionamento do equipamento e até impossibilitando a sua partida. É por isso que você deve ficar atento ao ponto de fluidez do diesel.

O ponto de fluidez é a menor temperatura que um diesel pode chegar mantendo-se fluido, ou seja, antes do seu estado de congelamento. Esse ponto de fluidez varia de acordo com qualidade do diesel, a procedência do biodiesel presente no diesel e os aditivos presentes neste combustível.

Quando exposto a baixas temperaturas, o diesel tende a parafinar, ou seja, formar cristais parafínicos que causam entupimentos em filtros e falhas de ignição. Um diesel congelado é mais espesso e pesado, o que também dificulta a combustão do motor, afeta sua potência e até pode causar parada total do equipamento ou veículo.

O diesel se transformará em um gel em temperaturas de -6 °C a 18 °C. O motor não arranca porque o combustível está congelado. Se estiver em uma área com temperaturas abaixo dessa faixa, procure um posto de gasolina que use aditivos no diesel para abaixar o ponto de congelamento do combustível.

Preparado? Se ajudar seu cliente com estas orientações e realizar as manutenções preventivas nos veículos, sempre usando peças de boa qualidade, como os componentes das marcas Dana – Albarus, Spicer e Victor Reinz – com certeza você evitará que seu cliente entre numa “fria”. Fique atento. Neste inverno, agasalhe-se e cuide bem do seu cliente e dos nossos amigos com rodas.

[geot country="BR"] [/geot] [geot country="AR"]

De acuerdo con su ubicación quizás le interese visitar www.dana.com.ar. Si desea cambiar de país por favor haga click aquí.

[/geot] [geot country="CO"]

De acuerdo con su ubicación quizás le interese visitar www.dana.com.co. Si desea cambiar de país por favor haga click aquí.

[/geot] [geot country="EC"]

De acuerdo con su ubicación quizás le interese visitar www.danaecuador.com.ec. Si desea cambiar de país por favor haga click aquí.

[/geot]