Cuidados no reparo do eixo diferencial

A principal função do eixo diferencial é permitir que as rodas girem em velocidades distintas quando o veículo percorre uma curva, transmitir força em ângulo e multiplicar força ou velocidade. Embora seja um sistema robusto e resistente, a falta de manutenção ou imperícia do motorista ou do reparador podem gerar problemas, prejuízos e acidentes. Confira e evite danos!

Clique na imagem acima e veja os componentes do eixo diferencial em vista 3D expandida

O eixo cardan é a conexão para transmitir a potência do motor para a transmissão. O movimento do eixo cardan é transferido para o eixo diferencial e daí para as rodas.

Para realizar esta tarefa, o eixo diferencial é composto por um conjunto de engrenagens cônicas localizado no eixo de tração. Sua principal função é compensar mecanicamente as diferentes distâncias percorridas pelas rodas em uma curva, ou quando os pneus são de diâmetros diferentes ou, ainda, quando uma das rodas está patinando ou com pouco contato com o solo.

Essa compensação de giro entre as rodas é feita ajustando velocidades diferentes entre as rodas do eixo quando os satélites, ao arrastarem as planetárias, encontram resistência em uma delas e giram na cruzeta ou eixo dos satélites.

O eixo diferencial é composto pelos seguintes componentes: coroa, pinhão, planetárias, caixa satélite e semieixos.

Embora seja um conjunto, os itens de maior importância são as engrenagens satélites, planetárias e os semieixos. Os satélites são instalados na cruzeta do diferencial e engrenados nas planetárias, que por sua vez são acopladas nos semieixos, o que faz girar as rodas.

Em operação normal, ou seja, quando o veículo está rodando em linha reta, as rodas giram na mesma velocidade e os satélites não se movem. Ao realizar uma curva, a velocidade de cada uma das rodas se torna diferente, o que faz entrar em ação as engrenagens satélites, que ao girarem na cruzeta, permite velocidades diferentes entre as planetárias e, consequentemente, entre as rodas.

Cuidados na manutenção

É fundamental que a oficina tenha todos os instrumentos básicos de medição, como paquímetros e micrômetros (de preferência digitais), relógio comparador com base magnética e torquímetro, além de uma base de fixação (bancada) para a colocação de caixas diferenciais na morsa e ferramentas para sacar e instalar retentores.

Além destas ferramentas e estrutura básica da oficina, a equipe de Assistência Técnica Dana desenvolveu um Kit de Ferramentas adequadas para reparo de eixos diferenciais, composto de 12 componentes: 1) Sacador do terminal do pinhão, 2) Bloqueador do terminal do pinhão, 3) Rolamentos padrão, 4) Sistema para troca de pista dos rolamentos, 5) Medidor de profundidade do pinhão, 6) Sacador e aplicador do rolamento do semieixo, 7) Expansor para carcaça do diferencial, 8) Aplicador do cone do rolamento do pinhão, 9) Aplicador do cone do rolamento da caixa, 10) Sistema para desmontagem de eixos DL/TL, 11) Sacador dos rolamentos do pinhão e caixa e 12) Dispositivo separador da caixa diferencial 405/406. 

A lubrificação é um dos itens mais importantes para manter o conjunto do diferencial em boas condições porque reduz desgaste do atrito, protege o metal de oxidação e corrosão, e dissipa o calor excessivo.

Utilizar o lubrificante correto e no nível indicado é indispensável. O nível e a viscosidade do óleo devem ser checados a cada 2 mil km e a troca é recomendada quando o veículo atinge 160 mil Km ou um ano de uso. Em condições severas de trabalho, esse prazo diminui para 50 mil km ou a cada seis meses.

O nível de óleo de um eixo diferencial é controlado através do bujão de enchimento. O eixo deve ser cheio de óleo até o nível inferior do bujão, quando o mesmo estiver montado no veículo, em virtude da variação do ângulo do eixo de veículo para veículo

É recomendado o uso de um óleo SAE 85-140 DO TIPO MULTIUSO que atenda as especificações de qualidade MIL-L-2105D e API GL 5.

A falta de lubrificação, nível baixo, óleo vencido, óleo fora das especificações e vazamento do vedador do pinhão ou dos cubos de roda, podem causar sérios danos ao componente do diferencial. Todos os torques e ajustes aplicados deverão seguir as especificações da montadora.

Diagnóstico de falhas

Danos no conjunto do eixo diferencial podem ser causados pelos seguintes fatores: aplicação, operação do motorista, falta de manutenção, modificação do veículo ou do trem de força, uso incorreto do Peso Total Bruto (PTB) e do Peso Total Bruto combinado (PTBC). O componente mais sujeito a sofrer avarias é o semi-eixo.

Os problemas podem ser causados por fadiga do eixo, fadiga por choque, dentes quebrados e quebra no anel do ajuste do lado do flange, entre outros defeitos provocados por desgaste natural ou por fatores externos.

A quebra por carga de choque causa fratura instantânea ou trinca (a parte danificada é visível) e pode acontecer devido ao acionamento incorreto do bloqueio na passagem para tração. Outros defeitos são fadiga do eixo traseiro e fadiga de superfície. Rolamentos avariados também prejudicam o conjunto. Alguns fatores são: falta de lubrificação, manuseio incorreto, lubrificante contaminado e carga excessiva.

O contato e a folga entre os dentes do conjunto coroa/pinhão são muito importantes, pois podem aparecer trincas prematuras ou provocar ruído nos componentes.

A coroa e o pinhão são itens que merecem muita atenção na hora da manutenção, principalmente, se o veículo opera em condições severas. Esse conjunto é formado por duas engrenagens que permitem a redução do torque vindo do motor para as rodas, devido as combinações de dentes do conjunto coroa e pinhão. A divisão entre o número de dentes da coroa e do pinhão é a redução, que significa quantas voltas o pinhão precisa dar para a coroa completar uma volta. Quanto maior for a redução mais força e menos velocidade terá o veículo e quanto menor for a redução mais velocidade e menos força terá o veículo.

Serviços Dana de apoio ao reparador

Líder na fabricação de eixos e um dos principais fornecedores nas montadoras em todo o mundo, os eixos diferenciais Dana estão também na preferência dos profissionais da reparação automotiva, seja pela ampla gama de itens de reposição com a marca Spicer, seja pelo completo pacote de informações disponibilizados.

Temos um material bastante abrangente à disposição dos reparadores de todo o Brasil no site oficial da marca Spicer, além de publicações técnicas e vídeos instrucionais em nossos canais nas redes sociais, como Twitter, Instagran, Facebook e Youtube.

Promovemos cursos teóricos/práticos em todo o território nacional, alguns ministrados pelas nossas equipes de campo com as Unidades Móveis Dana e outros em parceria com nossos parceiros comerciais e escolas SENAI.

Quer mais informações? Entre em contato conosco.

[geot country="BR"] [/geot] [geot country="AR"]

De acuerdo con su ubicación quizás le interese visitar www.dana.com.ar. Si desea cambiar de país por favor haga click aquí.

[/geot] [geot country="CO"]

De acuerdo con su ubicación quizás le interese visitar www.dana.com.co. Si desea cambiar de país por favor haga click aquí.

[/geot] [geot country="EC"]

De acuerdo con su ubicación quizás le interese visitar www.danaecuador.com.ec. Si desea cambiar de país por favor haga click aquí.

[/geot]