Cuidados na troca do cubo de roda Albarus

Elemento fundamental para o funcionamento e segurança do veículo, o cubo de roda têm a função de transmitir o movimento da junta homocinética para a roda. Embora seja um serviço simples, sua substituição exige atenção e uma rotina de procedimentos bastante rígida. Acompanhe!

O cubo de roda é a peça responsável pela rolagem das rodas do veículo e onde estão fixados os parafusos ou porcas da roda. O cubo de roda trabalha em sincronismo com a junta homocinética, transmitindo o torque para as rodas do veículo e colocando-o em movimento.

É recomendável a inspeção do conjunto do cubo de roda a cada 20 mil quilômetros e sua substituição a cada 70 mil quilômetros rodados, sempre dependendo das condições de utilização do veículo.

Fatores como pancadas nas rodas ocasionadas por quedas em buracos ou irregularidades da pista e trafegar em regiões alagadas podem comprometer a durabilidade do cubo de roda.

O ponto de maior desgaste nos cubos de roda são os rolamentos que ficam internos ao conjunto do cubo, no entanto, a falta de cuidados na substituição ou falta de manutenção podem danificar o conjunto.

No ato da montagem do cubo de roda, após a substituição do rolamento, é preciso muita atenção, pois apertar incorretamente os parafusos que fixam a roda no cubo também pode causar empenamento ou desprendimento da roda,

Para a correta fixação da roda ao cubo é necessário aplicar o torque recomendado pela montadora do veículo e de forma cruzada, evitando empenamento do conjunto. A aplicação incorreta do torque pode levar a quebra da fixação ou ainda provocar trepidação na direção ou durante a frenagem.

É indispensável quando trocar os rolamentos também substituir seus retentores e sempre utilizar peças de qualidade e boa procedência.

Ajuste da folga dos rolamentos.

O ajuste correto vai garantir vida longa aos rolamentos e a segurança que não irão travar ou quebrar devido ao excesso de aperto ou de folga.

  1. Montar o rolamento no cubo da roda com graxa.
  2. Apertar a porca da ponta do eixo da homocinética até o fim, para empurrar totalmente o rolamento no compartimento. Use sempre uma porca nova.
  3. Soltar um pouco a porca e em seguida aplicar o torque indicado pelo fabricante na porca da ponta do eixo da homocinética.
  4. Recolocar a roda no veículo, apertar as porcas ou parafusos das rodas e girar a roda para frente e para trás (quatro a cinco voltas para cada lado), para assentar bem o rolamento.
  5. Afrouxar a porca em torno de 20 a 25 graus. Use um giz para marcar o pneu e facilitar o correto posicionamento;
  6. Com o torquímetro, aplicar o torque indicado pelo fabricante;
  7. Conferir se o rolamento não está preso ou solto demais. Para isso, girar a roda em ambos sentidos, dar umas “batidinhas” no pneu com a mão e avaliar se não está preso ou com muita folga. A roda deve girar livre, mas sem folga. Tenha certeza que as pinças de freio não estão pegando no disco para não interferir na sensibilidade do teste;
  8. Para encerrar, marcar a porca na ranhura do eixo e realizar o teste pratico com o carro;

Cuidado na aquisição do Cubo de Roda correto para a o veículo em manutenção.

Para realizar um trabalho seguro e a aplicação correta no veículo de seu cliente, consulte os catálogos Albarus, disponíveis no site da marca ou no aplicativo Catálogo Albarus, já à disposição para download no Google Play ou App Store.


[geot country="BR"] [/geot] [geot country="AR"]

De acuerdo con su ubicación quizás le interese visitar www.dana.com.ar. Si desea cambiar de país por favor haga click aquí.

[/geot] [geot country="CO"]

De acuerdo con su ubicación quizás le interese visitar www.dana.com.co. Si desea cambiar de país por favor haga click aquí.

[/geot] [geot country="EC"]

De acuerdo con su ubicación quizás le interese visitar www.danaecuador.com.ec. Si desea cambiar de país por favor haga click aquí.

[/geot]