Mens Sana in Corpore Sano

Mens Sana in Corpore Sano

Educação alimentar em São Leopoldo

Cooperação e alegria. Imagem: Marcos Massa

São Leopoldo é uma das maiores cidades do Rio Grande do Sul e fica na Região Metropolitana de Porto Alegre. Com uma população de mais de 220 mil habitantes, a cidade possui uma forte base industrial e uma grande pressão por serviços básicos em função da explosão demográfica vivenciada nas últimas décadas. Segundo uma pesquisa realizada pela Secretária Especial de Direitos Humanos da Presidência da República, UNICEF, Laboratório de Análise da Violência/UERJ e Observatório de Favelas sobre o Índice de Homicídios na Adolescência, São Leopoldo ocupa o primeiro lugar do Rio Grande do Sul em vários quesitos preocupantes.

O problema, contudo, pode se agravar – o metrô que ligará São Lepoldo até Novo Hamburgo exigirá a desapropriação da Vila Progresso, onde mais de 600 famílias residem. Ali, fica a Associação Meninos e Meninas de Progresso – AMMEP – uma instituição filantrópica que atende crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

Maria José de Lourdes, Coordenadora Geral do projeto ”Mens Sana in Corpore Sano”, apoiado pela Dana através da Rede Parceria Social em 2011, conta que a extensão do Trensurb de São Leopoldo para Novo Hamburgo passa diretamente sobre a Vila Progresso. Logo, essas famílias serão afetadas diretamente pela desapropriação e realocadas para a vila Brás juntamente com a instituição. E enumera as possíveis consequências desse fato: “O desenraizamento da sua comunidade é um forte abalo em suas referências comunitárias e possui um grande potencial para agravar a situação de vulnerabilidade social destas famílias”, diz.

Imagem: Marcos Massa
Imagem: Marcos Massa

Pensando neste contexto, a AMMEP negociou a transferência da instituição para o mesmo bairro, o São Brás, em que serão realocadas as famílias. “Apesar de possuirmos uma relação muito forte com o bairro onde trabalhamos tantos anos, ela é mais forte ainda com esta comunidade, com quem estivemos ao longo de mais de nove anos de trabalho em defesa de crianças e adolescentes”, esclarece ela.

Maria ainda conta que, após uma pesquisa, constatou-se também que um grande número de crianças e adolescentes que permanecem nas ruas da cidade e em situação de exploração e trabalho infantil eram provenientes das Vilas Progresso, Brás e Santa Marta. Ou seja: o novo local onde funcionará a sede da AMMEP também era abrangido pelo trabalho da Associação, que hoje atende 300 crianças e adolescentes.

Por enquanto, a nova sede está em construção e as aulas do projeto ”Mens Sana In Corpore Sano” acontecem na antiga sede da instituição. Também participam do projeto, que tem previsão de duração de oito meses, as chamadas “manipuladoras de alimentos”, que preparam as refeições dos beneficiados pela Associação. O curso ainda está no início, mas as alunas estão empolgadíssimas e felizes com a possibilidade de aprender conceitos de segurança alimentar, higiene dos alimentos e nutrição.

A Associação foi criada em 2000 para promover atividades pedagógicas no contraturno escolar para garantir a proteção das crianças e adolescentes e também a conscientização e formação para as famílias. Hoje, a AMMEP atende 300 crianças e adolescentes entre seis e 18 anos com os projetos “Arte, Cultura e Educação”, “Adolescer” e “Agente Jovem”, tratando de temas como saúde e cidadania através da arte e educação para a inclusão. O projeto “Mens Sana in Corpore Sano” surgiu como uma necessidade para que os profissionais que trabalham diretamente na Associação fossem capacitados e também para a comunidade que vive no bairro e arredores. Ao todo, a turma recebe seis horas semanais de aulas sobre segurança alimentar, nutrição, Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Política Nacional de Alimentação e Nutrição. “O projeto também engloba temas como qualidade e propriedades dos alimentos, manipulação e armazenamento de alimentos, higiene e equipamentos , além de aulas práticas com receitas”, conta.

Sobre a Rede Parceria Social

Todos os projetos patrocinados pela Dana na fase 2010/2011 envolvem Segurança Alimentar, como também na fase anterior, e acontecem em diversas cidades do RS: Porto Alegre, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Gravataí, Caxias do Sul e Montenegro. “Apesar do tema da Segurança Alimentar ter sido mantido, é importante ressaltar que agora apoiamos projetos novos, diferentes do ano passado. Estamos alinhados com os objetivos da Rede Parceria Social, que objetiva que, após um ano, as ONGs tenham conhecimento para andar com as próprias pernas”, diz Luis Pedro Ferreira, Gerente de Comunicação Corporativa da Dana.

ARTIGOS SEMELHANTES

Zeca Baleiro, maestro Tiago Flores e Orquestra da Ulbra - Foto: Fernanda Chemale

Yamandu Costa