AQUI TAMBÉM TEM DANA: Equipes de mini baja do Sul do País destacam-se em competição nacional

Os efeitos positivos da criação do Desafio Dana Baja Sul, competição de mini bajas lançada pela Dana em 2003, exclusiva para as escolas de engenharia da região Sul, puderam ser sentidos durante a competição nacional SAE Brasil Mini Baja, realizada no início de abril em Piracicaba (SP). Diversas equipes de universidades do Sul do País alcançaram posições de destaque no campeonato, conquistando o terceiro (UFSC), sexto (UFSC), sétimo (UDESC) e 11º (Ulbra) lugares na classificação geral. O melhor resultado conquistado até então por uma equipe do Sul havia sido o terceiro lugar na competição de 1998, por uma equipe da UFGRS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul).

Antes da criação do Desafio Dana Baja Sul, os estudantes do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul não tinham uma etapa intermediária para se preparar, como acontece com os alunos da região Sudeste, que participam também das competições de São Carlos e Campinas (SP). Nas últimas edições do campeonato nacional, o Sul conseguiu classificar apenas uma equipe entre os dez primeiros colocados em cada ano. Agora, a competição nacional tornou-se mais equilibrada, já que os times do Sul também podem avaliar antes, na prática, o desempenho dos carros que construíram, trocar conhecimentos e competir entre si.

“Tenho certeza de que um dos motivos pelo qual a UFSC chegou a esse excelente resultado foi a nossa participação no Desafio Dana Baja Sul. A proposta da Dana de promover esse evento para o desenvolvimento das equipes do Sul mostrou-se muito acertada”, afirma o aluno Fernando Balen, da UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina, detentora do terceiro (equipe Uiraçu) e do sexto lugar (equipe Ilhéu). A sétima colocação ficou com a equipe Velociraptor, da UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina, e o 11º lugar com a equipe Barão Vermelho, da Ulbra – Universidade Luterana do Brasil (Canoas/RS).

A iniciativa de promover uma competição na região Sul para estimular o trabalho das universidades locais surgiu da parceria entre a Dana e a SAE – Seção Porto Alegre. A competição é realizada dentro do complexo industrial da Dana em Gravataí (RS), em uma pista com 500 metros de extensão (área de 10.000 m²) construída exclusivamente para essa finalidade e equipada com toda a estrutura de box, cronometragem e atendimento ao público. Já foram realizadas duas edições do Desafio Dana Baja Sul – 2003 e 2004 – com a participação de mais de 100 estudantes em cada ano. O prêmio oferecido pela Dana à equipe vencedora é um motor Briggs&Stratton de 10 hp de potência.

Segundo Jader Hilzendeger, vice-presidente de Operações da Dana América do Sul, a evolução na colocação das equipes do Sul no Mini Baja é conseqüência de um plano que teve como componente fundamental a criação do Desafio Dana Baja Sul. “O resultado era de se esperar, pois estamos oferecendo às equipes da região Sul uma oportunidade de treinamento em condições reais de competição. É uma satisfação imensa acompanhar a evolução desses garotos. Estamos colaborando para obter uma geração de engenheiros automotivos mais maduros, competitivos e experientes e é um privilégio poder contribuir com essa oportunidade”, completa Jader.

Este ano, o III Desafio Dana Baja Sul acontece nos dias 29 e 30 de outubro. O formulário de inscrição para a prova pode já ser adquirido pelo endereço www.dana.com.br/bajasul. No site, os interessados também podem visualizar as fotos das edições anteriores, além do regulamento e regras gerais do campeonato.

SAE Brasil Mini Baja

Além da ótima classificação, o número de inscritos da região Sul no campeonato nacional também foi expressivo esse ano, com 13 equipes de 10 diferentes universidades. No total, o SAE Brasil Mini Baja reuniu mais de 700 estudantes de 45 instituições de engenharia de 11 Estados brasileiros, além de Brasília, Estados Unidos e Argentina, que levaram 68 veículos off-road – SAE Mini Baja – para avaliações estáticas e dinâmicas, aplicadas por especialistas da indústria da mobilidade.

A competição foi encerrada após um enduro de quatro horas em uma pista repleta de obstáculos, do Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo (ECPA). O primeiro lugar ficou com a FEI Baja 2, formada por estudantes do Centro Universitário da FEI (São Bernardo do Campo/SP), seguida pela equipe EESC Tornado, da Escola de Engenharia da USP São Carlos/SP. Com isso, as duas equipes ganharam o direito de representar o Brasil na SAE Midwest Mini Baja, nos Estados Unidos.