Vanderlei

Oliveira da Silveira

Com muitas lembranças boas de sua carreira, Vanderlei passou quase 30 anos na Dana – mais especificamente na Forjaria-  e deseja agora aproveitar o tempo livre para ficar próximo da natureza.

Vanderlei começou sua trajetória na empresa meio que “por acaso”. Com experiência na manufatura, já havia trabalhado na antiga Zivi Hércules (hoje Mundial) dentro do setor de Estamparia. “Depois que saí da Zivi, já tinha familiares que trabalhavam na Albarus – minha irmã, na fábrica de Cardans, e meu cunhado, na Forjaria. Considerei a possibilidade de entrar pra equipe também”, conta. Começaria assim uma história de 29 anos e 3 meses de muito trabalho, amizade e dedicação. “A Dana foi minha segunda família – de tudo isso, ficou uma memória boa, especialmente em relação a todos os amigos que fiz lá dentro. Sempre falo pra minha filha que é uma excelente empresa pra se trabalhar e procuro sempre passar a ela o que a Dana me ensinou”, diz.

Sua admissão foi no dia 22 de agosto de 1990, na Forjaria de Gravataí. Vanderlei foi contratado como Auxiliar de Produção, cargo que ocupou durante algum tempo. “Eram outros tempos para trabalhar na fábrica, que ainda tinha forjamento a Martelo e era muito mais barulhenta do que é hoje”, recorda. Em seguida, Vanderlei foi promovido a Operador de Guilhotinas de Corte de Aço e diz que sempre gostou de estar em seu lugar, o popular “chão de fábrica”. “Era um time muito unido ali, até pela dificuldade do processo e trabalho em si, então estávamos sempre juntos para ajudar uns aos outros no que fosse preciso naquele ambiente de trabalho árduo”, diz.

Mas claro que nem só de trabalho duro vivia a Forjaria e, carinhosamente, Vanderlei recorda dos muitos churrascos feitos no Galpão Crioulo para celebrar os recordes de produção atingidos pelo time da Forjaria, assim como as partidas de Futebol 7 e os antigos Open House, quando a família dos colaboradores podia visitar a Dana. “Minha filha Priscila hoje trabalha na Clínica Odontológica da Dana de tanto que falei como era feliz aí dentro”, ri ele. “Tudo o que nós adquirimos agradeço a Deus pela força e saúde e pela Dana pelo trabalho”.

Outra memória marcante foram os muito treinamentos feitos dentro da Dana – Vanderlei guarda uma verdadeira coleção de certificados de todos os cursos feitos durante estes 29 anos de carreira na Dana e diz que o investimento em conhecimento é, sim, um dos diferenciais da empresa. “A gente recebia conhecimentos fabulosos, treinamentos que eram top de linha a nível mundial e a empresa sempre ressaltava que isso era um diferencial para nossa competitividade no mercado mundial”, afirma.

Tanta dedicação também levou a algumas conquistas inesquecíveis como time – uma delas é a certificação ISO 9000, uma certificação que atesta o padrão de qualidade composta por um grupo de normas técnicas que estabelecem esse modelo de gestão da qualidade. “Foi uma construção coletiva e, quando obtivemos a certificação, a empresa fez uma celebração muito bonita com foguetes – foi um dos momentos que me marcou na Dana, assim como todos os nossos recordes de produção batidos mês a mês por um time muito dedicado e competitivo para entregar sempre o melhor”, conta.

Vanderlei diz que era aquele tipo de colaborador para o qual “não tem tempo ruim” na empresa e credita isso às dificuldades que passou no começo da vida, quando chegou até a trabalhar em obras da construção civil, serviço pesado mesmo para um jovem. “Por isso, na Dana, trabalhei durante anos no Segundo Turno, que muitos colegas detestavam, e fazia hora extra sempre que necessário porque sabia que era uma excelente oportunidade estar ali”, explica.

Hoje, ele tem como hobby tocar violão – sempre adorou música – e também estar perto da natureza. Gostava muito de encontrar os ex-colegas de empresa no grupo de Veteranos Dana, prática de encontros que foi abolida com a pandemia da COVID-19, mas sabe que, quando tudo isso passar, estarão reunidos novamente para contar boas histórias.

Vanderlei é casado há 30 anos com Erdira de Fraga, com quem tem a filha Priscila, de 28 anos, que trabalha na Sabre como Técnica em Saúde Bucal – dentro da Dana. “É muito bom ter essa felicidade de olhar pra trás depois de todos esses anos de empresa e dizer que não me arrependo de nada. Dentro do possível, sei que fiz de tudo para entregar sempre o meu melhor”, conclui.

Vanderlei perfil

“É muito bom ter essa felicidade de olhar pra trás depois de todos esses anos de empresa e dizer que não me arrependo de nada. Dentro do possível, sei que fiz de tudo para entregar sempre o meu melhor”.

[fbcomments]