skip to Main Content
Chimarruts
Rafa Machado, Tiago Flores, Tati Portela e Orquestra da Ulbra - Foto: Marcos Massa

A mistura do reaggae da banda Chimarruts com os arranjos de cordas da Orquestra de Câmara da Ulbra encheu de harmonia e paz o Salão de Atos da Ufrgs, no último sábado, em Porto Alegre. O inusitado encontro de dois estilos tão diferentes fechou com chave de ouro a temporada dos Concertos Dana de 2011.

O maestro Tiago Flores elogiou o profissionalismo da banda, que demonstrou uma postura impecável nos bastidores do espetáculo. A vocalista Tati estava ansiosa antes do espetáculo – este foi o primeiro show que a banda faz com uma orquestra. A mistura está linda! A canção que abre o show é ”O Sol”, gravada no primeiro álbum da banda, homônimo. A Chimarruts tem onze anos de estrada e cinco discos. O arranjo de “O Sol”, música do primeiro dos cinco álbuns da banda, é de Rodrigo Bustamante e foi uma bela escolha para abrir o concerto. Os ensolarados cantam ”Eu só quero dizer pra vocês: amor, paz e felicidade!”

Ainda feliz com as quatro premiações do Prêmio Açorianos deste ano (compositor, intérprete, instrumentista e melhor disco, “Só Pra Brilhar”), a Chimarruts apresentou uma seleção de sucessos nos Concertos Dana. A banda, criada há mais de uma década por oito amigos que se encontravam para tomar chimarrão e tocar violão nos parques de Porto Alegre, compõe canções que falam de amor e paz. No início da carreira, o grupo emplacou hits como “Chapéu de Palha” e “Iemanjá” nas rádios do Rio Grande do Sul. Logo depois, as melodias se tornaram conhecidas em todo o Sul do país. Em 2007, o grupo explodiu nacionalmente a partir do CD “Ao vivo”. Este ano, a canção “Do lado de cá” foi trilha sonora de duas novelas da Globo.

Concertos Dana

A entrega do vocalista Rafa – Foto: Marcos Massa

A canção “Se for embora”, composta pelo guitarrista Sander Fróes, com arranjo de Daniel Wolff, sacodiu as poltronas do Salão de Atos da Ufrgs. A leveza estava no ar e é difícil não entrar no clima das letras de paz, amor e liberdade. O som da banda é um misto de reggae, dub, raggamufin e, misturado aos arranjos deste espetáculo, são de uma leveza impressionante! Começa “Floripa”, terceira música do show, e a vocalista Tati brilha e dança. Parece que está em casa. Antes do espetáculo, ela disse estar nervosa e saber que seria uma noite inesquecível para a Chimarruts, que muitos percalços venceu até chegar aqui. “Eu acho que os arranjos ficaram lindíssimos, uma coisa assim, meio Beatles, sabe?”, tentou explicar a simpaticíssima vocalista.

“Roots Dance” ganhou um arranjo maravilhoso de Daniel Sá, que traz aquela leveza dos violinos e combina perfeitamente com a composição. As letras simples – mas nada simplórias – da Chimarruts inspiram seus fãs a acreditarem numa realidade melhor e, não por acaso, eles estão conquistando a Região Sudeste do país este ano, com seu primeiro disco lançado nacionalmente por uma grande gravadora.

A canção “Pra Ela” é acompanhada pelo público, que canta junto com a banda a letra agridoce. É impressionante o amor do público pela simpática vocalista Tati, aplaudida a cada solo vocal. A música seguinte, “Do Lado de Cá” é o maior sucesso atual da Chimarruts e está na trilha da novela Malhação. O público acompanhou cantando e batendo com palmas. A música faz parte do disco mais recente da banda, “Só pra Brilhar”, primeiro lançamento nacional da banda e produzido por Paul Ralphes. “Novo Começo”, de Sander Fróes e Nê, traz um brilho especial para a percussão de Vinícius Marques, numa sonoridade bem original. Em seguida, é a vez do primeiro sucesso da Chimarruts brilhar: “Iemanjá”, do primeiro disco da Chimarruts, e imediatamente a maioria do público cantarola a letra. O arranjo é de Iuri Corrêa e a música é tão legal que fez a banda “estourar” aqui no Sul mesmo tendo apenas um disco independente na bagagem. Você sabia que “Iemanjá” foi o que fez os meninos da Chimarruts perceberem que tinham que chamar uma voz feminina para a banda?

Concertos Dana

O carisma e a simpatia de Tati – Foto: Marcos Massa

Momento de Tati deixar o palco para Rafa cantar ”Dia Especial”, uma melodia super pop composta por Duca Leindecker. ”Dia Especial” e a próxima canção, ”Versos Simples” são, na opinião de Tati e do maestro Tiago Flores, os arranjos mais lindos. Tati brilha em ”Versos Simples”, seu solo, com arranjo de Daniel Wolff. A letra é uma declaração de amor e o Salão de Atos ovacionou a vocalista do Chimarruts. Era a hora de ”Chapéu de Palha”, outro grande sucesso do primeiro disco da Chimarruts, super festejada pela plateia. A música é de autoria do vocalista Rafael Machado, que deixa o público cantar pra ele. Hora da saideira, ”Deixa Chover”, outra música do começo da carreira da banda e uma das favoritas de Rafa. O arranjo é simples na versão original, com voz, violão e percussão… Aqui, ficou grandiosa! Grande Rodrigo Bustamante, baita arranjador. A letra diz: ”Sei que vou encontrar/ muitas pedras no caminho/ uma flor e dez espinhos/ mas não posso me curvar”. A síntese da Chimarruts.

O bis, pra lá de especial, é composto por um cover de ”My girl”, dos Commodores, super clássico da soul music. A outra escolha do bis foi ”Do Lado de Lá”, e o público solta o gogó de vez. A vibe é leve, como foi durante todo o espetáculo, com o reggae pop e dançante da banda… Até o ano que vem, com mais Concertos Dana!

Acesse nosso Canal no YouTube e assista aos vídeos desta apresentação e de vários Concertos Dana.