Marco Aurélio

Caleffi

É com satisfação que Caleffi recorda dos seus 45 anos de Dana. A história começou quando a empresa em que trabalhava foi adquirida pela Albarus, entre 1981 e 1982. Desde então foi trabalho árduo e viagens representando a Dana ao redor do mundo.

Formado em Administração de Empresas pela UFRGS no ano de 1966, logo depois Caleffi fez Pós-Graduação em Marketing. Isso o levou ao cargo de Vice Presidente de Marketing e Vendas na Dana. Seguiu nesta posição até 1990, quando ingressou na ATH, Albarus Transmissões Homocinéticas.

Em 2000 voltou para a área de hidráulica, com a incumbência de vender a Divisão de Hidráulica – da qual fazia parte a antiga ASH, Albarus Sistemas Hidráulicos – da Dana no mundo todo. O processo de entrar em novos negócios e eventualmente sair deles é parte da dinâmica de uma grande empresa, e esta tarefa foi cumprida com sucesso, culminando na venda para a Parker.

Sua rotina de trabalho era na estrada. Começava a semana em Porto Alegre mas logo pegava um avião e trilhava pelo mundo apresentando as peças da Dana. Ele lembra de ter conhecido quase todos os cantos dos Estados Unidos.

Por lá ia nas fábricas, vendia, testava os produtos, conversava com o pessoal de vendas e fazia toda a atividade de colocação do produto. Quando perguntado se era o “homem da lábia” ele ri e brinca: “Neste caso não tem o que falar, ou o produto é de qualidade ou não é”.

Lembra com carinho das viagens que fez a bordo de um bimotor, atravessando o continente Norte-Americano. Também trilhou caminhos pela Europa e América Latina, além de conhecer todo o Brasil a trabalho. Por mês chegavam a ser de duas a três semanas longe de casa. Ele confessa que amava o que fazia, mas que a rotina movimentada também cansava: “Desde que me aposentei nunca mais viajei, isso cansa.”.

Com seus três filhos, netos e bisnetos, Marco Aurélio lembra da família que criou na Dana. “A relação com os colegas sempre foi muito boa. O espírito de amizade e coleguismo que tem na Dana até hoje é espetacular. A Dana é uma familia.”. Para racionalizar as despesas com hoteis em São Paulo, a empresa alugou um apartamento que era quase como uma segunda casa para alguns membros da diretoria.

Ele conta histórias de uma convivência de muito trabalho, mas também muita harmonia: “Um dos colegas acordava muito cedo, por volta das 4h da manhã, e ia fazer café para todos nós. O problema é que ele fazia tanto barulho na cozinha que acordava todos. Então eram 5h da manhã e já começava a primeira reunião.”

Depois de sair da Dana em 2001, Caleffi prestou consultoria por muitos anos, inclusive para a Dana. Atualmente está aposentado, curtindo os filhos, netos e bisnetos. Olhando para trás e admirando sua trajetória, ele revela: “Se tivesse que fazer tudo de novo, eu faria com muita alegria, muito prazer. Foi muito gratificante trabalhar na Dana, é uma empresa espetacular. Trabalhar com alegria, ter vontade de levantar para trabalhar é maravilhoso!”.

perfil2-315x250

Se tivesse que fazer tudo de novo, eu faria com muita alegria, muito prazer. Foi muito gratificante trabalhar na Dana, é uma empresa espetacular. Trabalhar com alegria, ter vontade de levantar para trabalhar é maravilhoso!