Renato Borghetti, Neto Fagundes e Leonardo

Renato Borghetti, Neto Fagundes e Leonardo

Regionalismo sacro

Renato Borghetti, Tiago Flores, Leonardo e Neto Fagundes. Imagem: Marcos Massa

O gaúcho começou a tocar gaita aos 10 anos de idade. Cinco anos depois, o rapazote já era atração turística em um dos Centros de Tradições Gaúchas. Renato Borghetti – que já vendeu centenas de milhares de cópias de discos, mas injustamente ainda não é reconhecido nacionalmente – foi a atração dos Concertos Dana em maio de 2001.

Borghettinho, como é chamado pelos pampas, arrancou aplausos das 1.200 pessoas que lotaram cada canto da Igreja São José, ao lado de Neto Fagundes e Leonardo – importantes intérpretes do Sul –, da Orquestra de Câmara da Ulbra e de Pedrinho Figueiredo no sax e na flauta.

O detalhe é que a capacidade da Igreja é para metade desse público. A platéia se acomodou como pôde: nos bancos, no chão, em pé nos corredores, nas laterais e no fundo da igreja. Tudo em nome da boa música do Rio Grande!