Nenhum de Nós

Nenhum de Nós

Rock de casaca

Nenhum de Nós e Orquestra de Câmara da Ulbra. Imagem: Marcos Massa

Receita de sucesso deve ser repetida. E ingredientes novos são sempre bem-vindos. Foi assim com o concerto da banda Nenhum de Nós e Orquestra de Câmara da Ulbra. A emocionante apresentação de 2001 mereceu um bis incrementado com novas canções em 2002.

E foi esta mesma emoção que também tocou o coração dos músicos. “Quando surgiu a oportunidade de a gente tocar com uma orquestra de câmara, parecia coisa de sonho. Depois a gente caiu na realidade e esta realidade era mais mágica do que esperávamos.” As palavras de João Vicente, integrante do Nenhum de Nós, servem para definir a importância de um dos primeiros encontros da história dos Concertos Dana.

O grupo surgido na década de 80 e nacionalmente conhecido por inúmeros sucessos ao longo de 20 anos de carreira, viu na oportunidade de tocar com a Orquestra da Ulbra, a chance de conferir maturidade e novo vigor as suas composições.

Com a orquestra totalmente à vontade, o Nenhum de Nós revisitou seu repertório e brindou o público com versões primorosas para sucessos como “Ao meu redor”, “Diga a ela” e “Vou deixar que você se vá”, além de uma magnífica interpretação de “Fool on the Hill”, dos Beatles Lennon e McCartney.

A platéia se juntou numa única voz para acompanhar as canções que viraram hinos de uma geração. Como tão bem falou João Vicente, parecia coisa de sonho.