TECNOLOGIAS DANA EQUIPAM OS PRINCIPAIS LANÇAMENTOS DAS MONTADORAS PARA 2007

Diversas soluções desenvolvidas pela fabricante de sistemas e componentes automotivos Dana equipam alguns dos principais lançamentos das montadoras para 2007, que foram apresentados no 24º Salão Internacional do Automóvel de São Paulo. As divisões de Suspensão, Transmissão, Bombas e Vedação da Dana no Brasil participaram ativamente nos projetos dos novos veículos como GM Prisma, Novo Volkswagen Polo, Fiat Idea Adventure, Renault Mégane, Ford Ecosport automático, Honda Fit Flex e também no jipe Stark, da mais nova montadora brasileira, a TAC – Tecnologia Automotiva Catarinense.

Para o Chevrolet Prisma, segundo modelo produzido na unidade modular da General Motors em Gravataí (RS), a Dana desenvolveu articulações das suspensões, tirantes da barra estabilizadora, bomba d´água, bomba de óleo, coxins do motor e coifas dos semi-eixos homocinéticos. Em avançados softwares e laboratórios, os componentes de suspensão foram otimizados para uma máxima performance. Nas soluções de motor, a união fornecedor-cliente foi decisiva para se alcançar um novo padrão de desempenho e economia.

Entre os modelos apresentados pela Volkswagen, o Novo Polo é equipado com articulações das suspensões, tirantes da barra estabilizadora, barras de direção, bomba de óleo, válvula de partida a frio, junta de cabeçote MLS e coifas dos semi-eixos homocinéticos produzidos pela Dana. Também para o motor 2.5 do novo sedã Jetta, fabricado no México, a divisão de Vedação da Dana Brasil fornece um defletor de calor e ruído (protective shield) de alta eficiência para o coletor do sistema de escapamento. A cada ano, mais de 70.000 dessas peças são exportadas para abastecer a unidade mexicana da Volkswagen.

O pioneiro Stark 1.8 4WD, fabricado em Santa Catarina pela mais nova montadora brasileira, a TAC – Tecnologia Automotiva Catarinense, também conta com soluções de suspensão, transmissão, bombas e vedação da Dana. O jipe é o primeiro modelo nacional equipado com os eixos 44-3 em versão para suspensão independente. O diferencial de deslizamento limitado Trac-Lok é item de série e o modelo possui ainda articulações das suspensões, eixos cardan (dianteiro e traseiro), bomba d´água e junta de cabeçote MLS Dana.

O desenvolvimento da perua Mégane Grand Tour, novidade da Renault, envolveu as quatro divisões de motor da Dana Brasil – Anéis, Bronzinas, Bombas e Vedação. Primeira experiência bicombustível da montadora em todo o mundo, o modelo 1.6 16V Hi-Flex conta com anéis de pistão, bronzinas, válvula de partida a frio, junta de cabeçote MLS e protective shield da Dana. Além da perua, a Dana equipa o sedã Mégane e os modelos Clio e Scénic.

Entre as novidades da Fiat, o Idea Adventure com motor 1.8 Flex, possui articulações das suspensões, tirantes da barra estabilizadora, bomba d´água, bomba de óleo, válvula de partida a frio, junta de cabeçote MLS e coifas dos semi-eixos homocinéticos produzidos pela Dana. Para garantir a tranqüilidade dos “aventureiros”, os componentes de suspensão e as coifas enfrentaram milhares de horas em testes, simulando as piores estradas do mundo. Também o Palio Elétrico, resultado de uma parceria entre a Fiat e a hidrelétrica de Itaipu, conta com articulações das suspensões e tirantes da barra estabilizadora Dana, assim como as outras versões do modelo.

O Ford Ecosport ganhou a opção de transmissão automática na versão 2.0 com tração 4×2. Presentes no projeto desse modelo desde os primeiros passos, as divisões de Suspensão e Vedação da Dana Brasil também colaboraram nessa nova versão. Coifas e articulações das suspensões foram projetadas nos mais avançados softwares, testadas em laboratório e depois aprovadas nas piores estradas do Brasil.

A Honda trouxe para o Salão do Automóvel seus primeiros motores bicombustíveis, uma inovação mundial para a marca. O Fit passa a contar com essa tecnologia na versão 1.4. Para o Honda Fit Flex, a Dana fornece tirantes da barra estabilizadora e terminais de direção, aprovados nas mais severas avaliações de qualidade da montadora. Os componentes são produzidos pela operação de Diadema (SP), Centro Mundial de Desenvolvimento para todo o grupo Dana.