Dana doa bombas d´água para beneficiar famílias do semi-árido brasileiro

A Dana participa do projeto Bomba d´Água Popular, que possibilita a milhares de famílias que vivem no semi-árido brasileiro o acesso à água limpa, de forma abundante e contínua. Com a coordenação da ASA (Articulação no Semi-Árido Brasileiro) e da Autovisão Brasil, braço de desenvolvimento de negócios da Volkswagen, o programa tem como objetivo instalar bombas em poços já existentes na região, que atualmente estão inativos ou são mal aproveitados devido à falta de um equipamento próprio para a captação da água. Para apoiar o projeto, que torna possível a permanência de comunidades nessa região, a Dana fez a doação de seis bombas d´água, que vão beneficiar diretamente cerca de 1.500 pessoas.

De acordo com a Autovisão Brasil, existem mais de 100 mil poços espalhados pelo semi-árido, que foram escavados pela Petrobras durante as décadas de 60 e 70 na busca por petróleo. Em muitos foi encontrada água e, desde então, onde as condições de potabilidade eram adequadas, esses poços passaram a ser utilizados pelas comunidades. Entretanto, como são muito estreitos e não há bombeamento, a água é retirada manualmente por meio de um “caneco”, fabricado a partir de um cano de PVC, o que torna o processo lento e pouco eficaz.

O Projeto Bomba d´Água Popular consiste em instalar bombas de funcionamento mecânico nesses poços, para que a água seja retirada de maneira mais prática, rápida e abundante. Desenvolvida pelo holandês Gert Jan Bom, enquanto trabalhava como voluntário em Burkina Faso, na África, essa bomba tem capacidade para captar até 1.000 litros de água em uma hora, em uma profundidade de 40 metros. Em 12 horas, são 12.000 litros, o que representa 43 litros de água por pessoa, para uma comunidade de 280 moradores, por exemplo.

O semi-árido brasileiro, também conhecido como “sertão”, é a região geográfica onde ocorrem as secas, devido ao regime pluvial irregular. Com área de aproximadamente 900.000 km², equivalente ao tamanho da França e da Alemanha juntas, abrange os Estados do Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e o Vale do Jequitinhonha no Norte de Minas Gerais. A região abriga cerca de 25 milhões de habitantes que, no período de estiagem, precisam carregar a água fornecida pelos caminhões-pipa por longas distâncias.

Paulo Nunes, vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios para a Dana América do Sul, destaca a importância de uma iniciativa deste porte: “É um prazer estender a nossa parceria com a Volkswagen Caminhões e a Autovisão para uma importante ação social como esta. É mais uma demonstração do potencial de nossa união e dos resultados obtidos com o somatório de nossos esforços para a sociedade brasileira.”

A primeira bomba d´água popular foi doada em outubro de 2005, para uma comunidade do município de Santana do Acarau, no Ceará. Até agora, o programa Bomba d´Água Popular já instalou 340 bombas, que beneficiaram mais de 70 mil pessoas. Após a instalação, os líderes das comunidades recebem treinamento para serem os zeladores da bomba, capacitados para fazer a manutenção do equipamento.

Fabricada pela Menegotti Equipamentos, em Santa Catarina, a bomba d´água popular pode captar água até 100 metros de profundidade. De fácil manuseio, mesmo para crianças e idosos, possui grande resistência mecânica e pode durar cerca de 30 anos.

“Este projeto de doação de bombas para ativar poços já escavados é uma forma simples e inovadora de contribuir para melhorar a qualidade de vida nessas comunidades, já que a obtenção de água de forma contínua permite o plantio e a criação de animais, incentivando a busca pela sustentabilidade em uma região tão carente”, destaca Luciano Pires, diretor de Comunicação Corporativa da Dana.

De acordo com a programação da ASA, as bombas doadas pela Dana deverão ser instaladas ainda no primeiro trimestre de 2008. Cerca de 100 fornecedores da Volkswagen também já fizeram suas doações para o programa e a própria montadora doou um caminhão 8.120, que faz todo o processo de entrega, do posto de Juazeiro-BA (para onde o fabricante encaminha as bombas) até os municípios beneficiados.