Dana Corporation tem melhor desempenho em vendas e nos resultados operacionais do primeiro semestre

Resultado líquido inclui também os ganhos líquidos gerados por transações

A Dana Corporation anunciou que suas vendas no segundo trimestre de 2004 foram de US$ 2,3 bilhões, contra US$ 2 bilhões durante o mesmo período no ano passado. O faturamento líquido no trimestre totalizou US$ 108 milhões, ou 72 centavos por ação. Os números representam aumento 60% na receita líquida em relação a 2003 (US$ 52 milhões), excluindo-se os itens extraordinários (US$ 33 milhões de receitas líquidas extraordinárias este ano ante US$ 5 milhões em 2003).

“Estamos satisfeitos por fechar outro trimestre com sólido desempenho operacional”, diz o presidente e CEO da Dana, Mike Burns. “Entretanto, continuamos a perseguir aumento em foco, integração e produtividade, alinhados com nosso comprometimento em atender as necessidades de nossos clientes em todo o mundo”.


As vendas do segundo trimestre subiram 16% se comparadas ao mesmo período do ano passado, com a maior parte do incremento proporcionado pelos negócios provenientes de novos programas e volumes de produção mais elevados nos principais mercados atendidos pela Dana, especialmente no segmento norte-americano de caminhões pesados.

“Nosso sólido crescimento de vendas contribuiu para o fortalecimento dos resultados na última linha”, diz Burns. “Além disso, continuamos com crescimento em nossa margem bruta – tanto na comparação com o ano passado quanto com o trimestre anterior – por termos reduzido nossos custos adicionais e sido mais eficientes na aplicação dos recursos para lançamentos e desenvolvimento. É importante observar que essas melhorias foram alcançadas apesar dos aumentos de preços do aço e de outras matérias-primas enfrentados durante o trimestre”.

“Também estamos entusiasmados pela positiva flexibilidade estratégica e financeira que teremos quando completarmos a venda de nosso negócio de reposição automotiva”, afirma Burns. Em 9 de julho, a Dana anunciou que havia firmado um acordo definitivo para vender o negócio de reposição automotiva para o grupo The Cypress por aproximadamente US$ 1 bilhão à vista.

Transações desencadearam ganhos líquidos extraordinários reconhecidos de US$ 33 milhões

Os US$ 33 milhões de ganhos líquidos extraordinários do segundo trimestre de 2004 incluíram o reconhecimento de US$ 38 milhões em benefícios de taxas antecipadas desencadeados pela venda do negócio de reposição automotiva e transações que são parte do programa contínuo para a venda dos ativos da Dana Credit Corporation (DCC), que deve ser concluída durante o terceiro trimestre. Nesses ganhos foram incluídos os US$ 5 milhões de despesas relacionadas com a transação.

O vice-presidente e CFO da Dana, Bob Richter, explicou: “Espera-se que essas transações gerem ganhos de capital. Tivemos perda de capital e base negativa da contribuição social dos períodos anteriores que estavam totalmente reservados. Visto que agora nós esperamos poder utilizar a base negativa para compensar os ganhos, as regras da contabilidade exigem que nós reconheçamos a antecipação dos benefícios fiscais por meio da liberação neste momento, de uma parcela da reserva”.

“Ao mesmo tempo em que estamos felizes pelo beneficio da receita adicional, estamos satisfeitos porque, mesmo sem esses itens extraordinários, nós ainda atingimos lucro líquido de US$ 75 milhões no segundo trimestre, ou 50 centavos por ação, o qual é substancialmente superior ao ano anterior”.

Resultados do primeiro semestre melhoraram significativamente

As vendas consolidadas da Dana nos seis primeiros meses foram de US$ 4,6 bilhões, superiores aos US$ 4 bilhões no mesmo período do ano passado. O lucro líquido durante o primeiro semestre de 2004 foi de US$ 171 milhões, ou US$ 1,14 por ação, incluindo US$ 35 milhões em ganhos líquidos extraordinários. No primeiro semestre do ano passado, o lucro líquido foi de US$ 93 milhões, ou 63 centavos por ação, incluindo US$ 15 milhões em ganhos líquidos extraordinários.

“Excluindo nossos itens extraordinários e os resultados dos negócios a venda, nosso faturamento líquido das operações em andamento melhoraram em mais de 60. Excluindo-se os ganhos extraordinários e o resultado das vendas realizadas, o lucro líquido cresceu mais de 60% no primeiro semestre de 2004, comparado com o mesmo período do ano passado”, diz Burns “Novamente, esta melhoria deve-se ao resultado de novos negócios e ao forte volume de produção nos nossos principais mercados”.

“Estamos otimistas sobre níveis de produção no setor norte-americano de caminhões pesados mas, no segundo semestre não faltarão desafios”, diz Burns. “Vamos continuar a sofrer impactos das adversidades enfrentadas durante os primeiros seis meses do ano, particularmente custos de matéria-prima mais elevados. Além disso, o crescente aumento dos estoques de veículos leves nos EUA também aponta para a potencial redução nos planos de produção nesse setor durante o segundo semestre do ano”.

“Mesmo que continuemos a consolidar os resultados do negócio de reposição automotiva até que a venda se concretize, nós não estamos mudando nossa orientação de ganhos de pelo menos US$ 1,90 por ação, excluindo itens extraordinários, em 2004”, finaliza o executivo.