AQUI TEM DANA: Restaurante comunitário Prato Popular em Gravataí já serviu 7 mil refeições

O restaurante comunitário Prato Popular de Gravataí (RS), projeto que surgiu da parceria entre a prefeitura da cidade, a Dana, a Puras e a Kaiser, é um forte exemplo de como as empresas podem se unir em benefício da comunidade onde estão inseridas. Desde que foi inaugurado, no dia 13 de outubro deste ano, o restaurante, que funciona de segunda a sexta-feira, já serviu cerca de 7 mil refeições a centenas de pessoas de baixa renda do município, totalizando mais de 5 toneladas de alimentos.

Localizado no centro de Gravataí, na rua Coronel Sarmento, no. 1.426, o restaurante serve refeições completas ao preço de R$ 1,00 cada. Os pratos são preparados diariamente pela equipe da Puras, na cozinha industrial do complexo industrial da Dana, em Gravataí, e transportados para o restaurante em containeres térmicos. O cardápio diário contém arroz, feijão e salada (todos com consumo livre), carne (uma porção) e complemento (uma porção). “A comunidade de baixa renda pode desfrutar de uma alimentação saudável e equilibrada, que supre a necessidade diária de proteínas, por um valor acessível”, diz Beatriz Macedo Fontoura, consultora e técnica empresarial da Puras.

A prefeitura de Gravataí foi responsável pela locação do espaço, infra-estrutura e contratação da equipe de atendentes do restaurante. Para frequentar o Prato Popular, que tem capacidade de servir 300 refeições por dia, o visitante deve preencher um cadastro e comprovar que possui renda inferior a R$ 120/mês ou nenhuma.

Voluntariado

No período inicial de funcionamento do Prato Popular, uma equipe de colaboradores-voluntários da Dana visitava diariamente o local para auxiliar na organização e no atendimento aos visitantes. “Nosso acompanhamento agora será semanal. É muito gratificante ver de perto o resultado de um trabalho que beneficia pessoas que realmente precisam”, declara Maria Fortes, assistente social da Dana e uma das colaboradoras- voluntárias. No Prato Popular não existe desperdício. Quando há excedente de alimentos, as refeições são imediatamente encaminhadas para entidades assistenciais de Gravataí (creches e asilos).

Para Miki Breier, secretário municipal do Trabalho, Cidadania e Assistência Social da prefeitura de Gravataí, o projeto supre a necessidade de alimentação saudável de parte da comunidade do município. “De acordo com o levantamento feito pela prefeitura, todos os freqüentadores do Prato Popular comprovadamente necessitam desse auxílio. O projeto trouxe mais dignidade e qualidade de vida a centenas de pessoas”, salienta Brier.

O apoio de empresas como a Dana, Puras e Kaiser à iniciativa da prefeitura e do governo estadual é muito importante para a comunidade e pode ser replicada em todo o Rio Grande do Sul. “O Prato Popular tem tudo para ser multiplicado em muitas outras cidades. Nossa participação reflete o foco da Dana nas ações sociais nas comunidades onde temos operações e visa motivar outras empresas a aderir a essa iniciativa”, explica o presidente da Dana América do Sul, Hugo Ferreira.

A implementação da unidade de Gravataí envolveu a aplicação de cerca de R$ 100 mil, investidos pela prefeitura e pelas as empresas parceiras, e tem um custo de manutenção avaliado em até R$ 10 mil mensais, em média. Graças ao importante incentivo do Governo Estadual do Rio Grande do Sul, 75% deste valor pode ser abatido do ICMS – um excelente exemplo da união de forças do poder público e iniciativa privada em prol da sociedade. O projeto dos restaurantes populares é concebido a partir da contribuição das empresas, que assumem o valor da diferença entre o preço de R$ 1,00, cobrado dos freqüentadores, e custo da operação e da preparação das refeições.

Iniciativa inédita

O Prato Popular Restaurante Comunitário nasceu da vontade e da iniciativa de João Vontobel, executivo da Vonpar, terceira maior distribuidora de produtos Coca-Cola no Brasil. O projeto tem por objetivo proporcionar refeições com qualidade para uma população menos favorecida, pelo desenvolvimento do espírito de responsabilidade social nas empresas.

A primeira unidade do restaurante comunitário foi inaugurada em Porto Alegre, em abril de 2003, no prédio da antiga fábrica da Vonpar, e marcou também o lançamento do Programa de Alimentação e Nutrição do Estado do Rio Grande do Sul. Em dezembro, o projeto foi estendido, desta vez para a cidade de Sapucaia do Sul (RS), que recentemente inaugurou um restaurante em parceria com o Grupo Gerdau e a prefeitura.

O projeto Prato Popular também conta com o importante apoio do Governo do Estado, por meio da Lei de Incentivo Fiscal. A lei estadual que instituiu o Programa de Apoio à Inclusão e Promoção Social, conhecida como a Lei do Restaurante Popular, foi regulamentada pelo Decreto nº 42.339, de 11/julho/2003, com republicação em 25/julho/2003. Altera o atual regulamento do ICMS, concedendo às empresas que financiarem projetos aprovados pelo Conselho Estadual de Assistência Social, nos termos da Lei 11853, o direito ao Crédito Fiscal Presumido, equivalente ao percentual de 75% do valor comprovadamente aplicado no projeto.

Veja alguns números do restaurante Prato Popular de Gravataí:

Dias de operação: 50 dias
Refeições preparadas: 9.190
Refeições servidas: 6.896
Refeições excedentes doadas para entidades: 2.298
Quantidade de alimentos preparados (total): 7,3 toneladas
Valor pago pelos frequentadores: R$ 6.896,00 (R$ 1 por refeição)
Valor subsidiado pelas empresas: R$ 13.092,00